quinta-feira, 26 de junho de 2014

Évora, minha querida Évora



Capela dos Ossos [Igreja de São Francisco]

Hoje, lá me faço a caminho da bonita cidade de Évora. 6 dias no paraíso alentejano. Calor, sossego, descanso e paz é exactamente aquilo que eu preciso neste momento. Portanto, se já lá estiveram ou visitaram, façam o favor de deixarem dicas de sitios a visitar e restaurantes. E sim, vou actualizando por aqui o que se irá passar lá, em forma de diário e deixar as minhas próprias dicas. Estejam atentos. 

Évora, espera por mim que eu vou a caminho.!

terça-feira, 24 de junho de 2014

sábado, 21 de junho de 2014

quinta-feira, 19 de junho de 2014

Ainda existem dias péssimos, como hoje.!!


Hoje, é um daqueles dias em que só me apetece enfiar na cama e choramingar entre lençois até os meus olhos me doerem. Sei que a culpa é minha. Sei que tenho que assumir responsabilidades pelo que fiz. E sei que não existe volta a dar. E o futuro que me assusta tanto. E o medo que se entranha na minha pele. Sei que apreendi a lição da pior maneira. Sim, hoje sei disso. 

sábado, 7 de junho de 2014

Quote of the Day.#39


I thought you cared. 
Funny, right?
— Six Word Story

quinta-feira, 5 de junho de 2014

Instead of saying it, do it.


Irrita-me aquele tipo de pessoas a quem tudo incomoda e a para quem tudo na vida dá trabalho fazer.  Irritam-me pessoas que não gostam de ser incomodadas; Pessoas que impõem a sua ideia como a melhor, sem se quer respeitar ou ouvir as ideais dos outros. Irritam-me aquele género de pessoas que para elas tem que ser tudo como elas querem; Pessoas que não se dão ao trabalho de gozar a vida ou apreciá-la nas mais pequenas coisas. Pessoas que fazem ameaças só para meter medo. Irritam-me pessoas que nunca estão bem com nada e a quem nada serve e nada nunca é o suficiente para elas. Irritam-me mais ainda pessoas que não sabem pedir desculpa e que não sabem reconhecer o que fazemos por elas nos piores momentos. Pessoas assim, que magoam, que irritam, que nos fazem chorar horas, dias, noites e até mesmo anos não mereçem nem um terço de todo o nosso amor por elas. Pessoas assim, meus queridos, só dão valor ao que tinham quando já não têm. Pessoas assim, só se apercebem que estavam erradas, quando a vida lhes ensina que realmente elas estavam de facto erradas. E é triste e no fundo é isso que resta, a tristeza. A tristeza de sabermos que fizemos tudo por uma pessoa e ela nem sequer tem a decência de nos dizer um simples "Desculpa".